Oração de composição apostólica, isso faz milagres

Bloqueador de anúncios detectado

Nosso site é possível pela exibição de anúncios online aos nossos visitantes. Considere apoiar-nos desativando o bloqueador de anúncios.

Quase ninguém sabe, que o credo dos apóstolos, popularmente associado como “esta versão mais curta do que a falada na igreja” é apropriadamente chamado de Credo Apostólico e é o primeiro credo da Igreja Católica. Às vezes, esta oração é abreviada como o Credo Apostólico. A lenda atribui a autoria desta bela oração aos próprios discípulos de Jesus Cristo, e suas origens remontam à virada do segundo e terceiro séculos DC. Devido à existência de doze artigos, versículos individuais foram atribuídos a sucessivos apóstolos na tradição cristã.. Esta é uma oração especial, e a prova disso pode ser dada, que é dito pela maioria das igrejas cristãs: Católico romano, Católica velha, inglês, bem como numerosas denominações protestantes.

A história da oração

O Credo dos Apóstolos começou em Roma, daí é enorme, popularidade posterior. Com o passar do tempo, a variedade de terrenos, onde as orações eram ditas foi sistematicamente aumentado. De acordo com pesquisas históricas e teológicas, o início da oração pode ir até o segundo século DC. Mas quase ninguém sabe, que a Composição Apostólica funcionou em duas formas, denotado por letras “R” e “T”. 

Forma “R”, que leva o nome de Roma, é a forma primitiva. Como curiosidade pode-se citar, que foi transmitido em duas línguas, em que a igreja conduziu seus serviços, está em grego e também em latim. A primeira fonte escrita, contido na Constituição Apostólica “R” este trabalho é intitulado “Tradição Apostólica” por Hipólito de Roma. O próprio texto foi escrito na forma de perguntas batismais. Mais tarde, a mesma versão aparece nas homilias escritas de Augusto de Hipona., bem como em Piotr Chrysolog.

Os pesquisadores não têm dúvidas, aquela versão “T” ao contrário da versão “R” foi estabelecido em territórios gauleses. Acredita-se, que reabastecer, que foram adicionados a ele, foram inspirados por símbolos orientais. Versão “T” foi escrito pela primeira vez sob César de Arles, quase idêntico, como o conhecemos hoje.

Versão “T” estava se tornando cada vez mais popular, até que finalmente alcançou a própria Roma e substituiu a versão anterior “R”. Apesar das intenções mais sinceras e das mais puras intenções, levando em consideração o alcance territorial cada vez maior, onde a oração do Símbolo Apostólico foi recitada e passada às próximas gerações, começou a diferir ligeiramente um do outro. Daí o Concílio de Trento, sentado em anos 1545-1563 ele decidiu, como ele mesmo apontou “para remover diferenças na oração” (derramar.a fim de eliminar uma variedade de orações) para limpar o Credo dos Apóstolos de todas as impurezas e estabelecer o único, versão válida, válido até hoje. O resultado de seu longo e árduo trabalho sobre a oração foi sua publicação no Catecismo Romano em 1566 ano, já de acordo com as diretrizes estabelecidas no Conselho. Menos de dois anos depois, a Constituição Apostólica revisada aparece no Breviário Romano, isso está em 1568 ano.

Encontrar um, a versão atual do Conselho era ainda mais importante tendo em vista os objetivos extremamente ambiciosos que se propunha., enfrentado pela congregação, nomeadamente: coibindo a heresia desenfreada na igreja, melhoria da moral e disciplina eclesiástica, que naqueles dias deixava muito a desejar, bem como a introdução de uma sala externa na igreja. O movimento de reforma na igreja iniciado por Martinho Lutero também teve significado.

Como e quando dizer o Credo dos Apóstolos?

Ao contrário do que parece, esta não é uma questão difícil. Respondendo a primeira parte, como a resposta é muito simples: com profunda fé nisso, o que dizemos, na misericórdia de Deus e na graça de Deus, sem medo, com o devido respeito.

O Credo dos Apóstolos pode ser orado por conta própria, como qualquer outra oração, bem como parte dos serviços religiosos, como o rosário e a coroa da misericórdia. O símbolo apostólico é então recitado imediatamente após fazer o sinal da santa cruz, quase no começo, antes da parte adequada das orações. Nas várias versões linguísticas do Missal Romano, a Composição Apostólica é fornecida como uma alternativa ao Símbolo de Nicéia-Constantinopla, geralmente recitado no domingo., no entanto, isso não é praticado no Missal Polonês.

A composição apostólica é linda, uma essência bastante condensada de toda a nossa fé, contém todos os fundamentos, em que acreditamos e que de boa vontade confessamos na frente dos outros. Enfatizamos a fé em Deus, o filho dele, Jesus Cristo, O espírito Santo (assim, reconhecemos e adoramos a Santíssima Trindade), nós os lembramos de ambos divinos, bem como a origem humana de Jesus Cristo, que milagrosamente trouxe esses dois seres juntos, nos lembramos do enorme sacrifício, que Jesus Cristo estabeleceu para nós, para nos redimir do mal aos olhos de Deus, sobre sua paixão e também a vitória sobre o pecado e a morte. Proclamamos Sua ressurreição e acreditamos, que seremos capazes de nos juntar a ele no devido tempo.

Eu acredito em Deus, Pai Todo-Poderoso,
Criador do céu e da terra
e em Jesus Cristo,
Seu único filho,
Nosso Senhor,
que foi concebido do Espírito Santo.
Ele nasceu da Virgem Maria,
martirizado em Poncki Pilate,
crucificado, ele morreu e foi enterrado,
Ele desceu ao inferno,
no terceiro dia ele ressuscitou dos mortos,
ele subiu aos céus,
senta-se à direita de Deus, Pai Todo-Poderoso,
de lá vêm para julgar os vivos e os mortos.
Eu acredito no espirito santo,
santa igreja universal,
Comunhão dos santos,
pecados em remissão,
ressurreição do corpo,
vida eterna.
Amém

Dizer a oração honestamente ajuda você a se lembrar, que é a essência da nossa fé e muitas vezes ajuda às vezes, em que há dúvida. Então, a confiança profunda na Providência de Deus e a negação do Credo dos Apóstolos ajudam a purificar a mente e o coração, olhe para os problemas preocupantes com uma certa distância e a Graça de Deus. E embora seja óbvio, você deve se lembrar constantemente disso, no que acreditamos, porque o mundo turbulento não ajuda a manter o equilíbrio espiritual.

Os neocatecúmenos prestam especial atenção à transmissão do testemunho de fé.. Muitos deles enfatizam, quanto esta oração jogou, quando eles estavam perdidos. Nem todos eles eram crentes o tempo todo, mas em algum momento eles decidiram ir para a catequese e confiar, o que resultou em uma colheita cem vezes maior.

Durante os serviços, o bispo desenha os nomes dos neocatecúmenos. Antes disso, não se sabe, que poderá fazer uma profissão de fé na frente do resto da congregação. Em seguida, os escolhidos vão para a comunidade. Eles seguram uma cruz em suas mãos, que é encorajá-los e dar-lhes um belo testemunho, entregando o credo dos apóstolos. “Estas são palavras fortes, real, exigindo coragem e grande humildade. Os neocatecúmenos falam sobre isso, como Deus os tirou do pecado.” eles compartilham suas experiências mais tarde.

Sabemos muito sobre a intercessão de Deus através do rosário ou da grinalda da Divina Misericórdia.. Sabemos disso, por exemplo, pelas revelações de Santa Irmã Faustina., a quem foi revelado, Que todos, quem vai dizer esta oração, ele receberá grande misericórdia na hora da morte.

Também vale a pena considerar, o que significa o mesmo “Acredito” e “Eu acredito em Deus”. De acordo com o catecismo, “PalavraAcredito significa o mesmo, co: pela seriedade de um Deus revelador, concordo firmemente com as verdades contidas no Credo dos Apóstolos.”, mas as palavrasEu acredito em Deus eles significam o mesmo, co: Eu acredito fortemente, que Deus é, e eu me esforço para que Ele seja a meta mais elevada e perfeita, boa e última.” Esta confissão é a mais bonita, com um gesto consciente, em que adoramos a Deus e apresentamos abertamente os elementos mais importantes da nossa fé.

Deixe uma resposta

erro: O conteúdo está protegido !!